PPCP – A Importância no Atual Contexto Econômico

O atual momento econômico que vivenciamos exige respostas rápidasseguras e assertivas quanto as decisões a serem tomadas. O PPCP ( que é a sigla de planejamento, programação e controle da produção) possui papel importante na manutenção da receita (R$) e no atendimento dos pedidos nos prazos solicitados. Os cenários são dinâmicos e as variáveis infinitas. Como minimizar os riscos e passar segurança com relação ao que se planeja? A resposta é simulando cenários.

Porém, estas simulações devem ser rápidas, ou seja, de preferência feitas em um intervalo de 30min a 2 horas. Não há tempo para esperar. Temos de aproveitar as oportunidades. O objetivo é entregar um sequenciamento que passe credibilidade para a fábrica e ao cliente.

A meta é, e sempre foi, utilizar o mínimo possível o Excel. Por quê? O Excel sempre é utilizado para “confirmar” informações. Muitas vezes é utilizado como forma de sequenciamento paralelo, o que faz com que o PPCP perca credibilidade.

Os processos estão cada vez mais amarrados e atrelados às ISOS, Normas e etc., porém os cenários precisam ser simulados com “n” variáveis e há uma consideração a ser feita: hoje, os cenários são simulados para períodos curtos, vivemos de momentos. Precisamos simular produção com um, dois, três turnos, restrição de número de operadores, preparadores, auxiliares, máquinas, manutenções corretivas, preventivas, realocações etc., os layouts não são mais fixos, são flutuantes, se adequam as demandas.

Essas variáveis requerem um sistema baseado na teoria das restrições. A Teoria das Restrições (TOC – Theory of Constraints) é um paradigma de gestão que considera qualquer sistema gerenciável como sendo limitado em alcançar mais do que suas metas por um número muito pequeno de restrições. Introduzida por Eliyahu M. Goldratt em seu livro A Meta de 1984, a publicidade e liderança por trás dessas ideias foram exercidas principalmente pelo Dr. Goldratt através de uma série de outros livros, seminários e workshops.

A ferramenta que desponta no mercado a mais de duas décadas é o Preactor, hoje Siemens Opcenter APS/Preactor. Trata-se de uma ferramenta APS (Advanced Planning& Scheduling – refere-se a um sistema de planejamento avançado de produção. Esses sistemas são complementares aos tradicionais sistemas de gestão empresarial – ERP’s – e se caracterizam por um melhor controle dos recursos) é uma ferramenta global, instalada em empresas dos mais diversos segmentos e portes. Está presente no mercado a mais de vinte anos e reconhecida como a “melhor prática de mercado” da atualidade, sendo líder em sua categoria. Seus cases são amplamente divulgados e seus resultados são comprovados, pois são atrelados ao contrato de prestação de serviço. Ao adquirir o software a empresa estipula uma série de metas a serem atingidas com a implementação da ferramenta.

Adaptabilidade/flexibilidade – estas duas palavras resumem o que o mercado demanda na atualidade e deverá demandar nos próximos anos. Podemos sequenciar na mesma máquina/equipamento, produtos que atendam a MTO (Make to Order – designada a fabricação conforme pedido) e produtos que atendam a MTS (Make to Stock – designada a fabricação em previsão de vendas e enviados ao estoque). Pode ser sequenciado para frente, para trás, bidirecional, utilizando regras APS, as possibilidades são infinitas. Permite priorizar um item/produto, um cliente, uma sequência preferida, minimizar setups.

Esta Ferramenta APS pode ser instalada em empresas com o mais variado número de colaboradores, cobrindo da viabilidade, até a necessidade. Todos os upgrades são replicados aos usuários a cada atualização de versão. O mesmo pode ser adquirido a licença através de compra ou assinatura (conhecida também como subscription).

As coletas de dados são rápidas. Ou seja, no caso de uma empresa que já possua processos definidos de apontamentos fabris, roteiros de fabricação, tempos, lead time, células de trabalho etc., os dados podem ser carregados em tempo real em questão de minuto(s). No Preactor, você apenas sequencia e “brinca” com as variáveis. Um exemplo,  se uma empresa sequencia cerca de 2.000 OP’s, com total de cerca de 15.000 operações em menos de 1 minuto. Para reprogramar, dependendo as regras vigentes, o tempo vai de 5 segundos a 5 minutos. Se a empresa não tiver dados confiáveis ou processo definido, o sistema não é descartado, cabe análise – cada caso é um caso.

A Ferramenta APS possui uma licença de uso e um de teste, ou seja, você pode fazer “loucuras” em um ambiente de testes sem causar maiores problemas para a produção. Esta licença permite que a Liderança possua uma Opção para Consulta (Preactor Viewer) dos dados. Podemos cadastrar calendários, máquinas, ferramentas, custos, ou seja, qualquer coisa que você planejador imaginar, é possível de ser customizada.

Atendimento PERSONALIZADO, é isso que faz a diferença para o Cliente. O Cliente chega para visitar sua Empresa e pede para ver o sequenciamento de suas OPS, e a interligação entre elas, e com um CLICK, eis que surge algo até então por ele não visto. Esta visualização se dá através do Gráfico de Gantt.

O foco do PPCP é na particularidade, sendo sua obrigação tratar apenas as ordens que estão fora de data. O que segue dentro do planejado não necessita de maiores atenções, sendo sua manutenção feita pelo C (controle), do PPCP.

Com uma ferramenta potente de sequenciamento de produção e customizada para atender as necessidades de cada empresa, o PPCP passa a fazer a gestão de uma série de indicadores:

  • Sequencia a produção com base nas OPS, e não mais na demanda prevista apenas.
  • Determina a necessidade de mão de obra.
  • Equaliza o WIP (Work in Process – estoque/material em processo).
  • Simula cenários e fornece OPÇÕES para o Cliente, tomando a decisão em conjunto.
  • O atendimento ao Cliente passa a ser feito pelo PPCP, e não mais pela área Comercial, ficando a cargo do PPCP:
  1. Recebimento dos pedidos;
  2. Devolutiva dos prazos e quantidades;
  3. Pesquisa de demanda.

Passou-se o tempo em que uma fábrica possuía seu planejamento dividido por tecnologia, ou por similaridade de produtos ou por setores. Repito, o atendimento é com foco no Cliente – PERSONALIZADO. Juntos somos mais fortes? Então temos de estar juntos.

Buscamos uma evolução da “classe”, o PPCP passa a ser um GESTOR. Passamos da TRANSPIRAÇÃO para a INSPIRAÇÃO.

Deixo aqui uma frase para sua reflexão do consagrado pai da administração moderna, chamado  Peter Drucker:  “Os resultados provêm do aproveitamento das oportunidades e não da solução dos problemas. A solução de problemas só restaura a normalidade. As oportunidades significam explorar novos caminhos “.

Sobre o autor: Rodrigo Tripes é Consultor de APS na APS3 com formação na área de Administração da Produção e grande experiência prática em PPCP de grandes empresas usuárias do Siemens Opcenter APS / Preactor.

Postado por Rodrigo Tripes em 28/10/2019

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *