ATP x CTP – Entenda as diferenças entre Available / Capable To Promise

No mundo da produção e do planejamento de demanda, dois conceitos-chave ajudam as empresas a gerenciar suas promessas aos clientes de maneira eficaz: Available to Promise (ATP) e Capable To Promise (CTP).

Esses conceitos, embora relacionados, atendem a diferentes necessidades operacionais e estratégicas. Vamos explorar cada um deles para entender suas diferenças e como o sistema Advanced Planning and Scheduling (APS) opera como uma solução CTP.

Available to Promise (ATP): A promessa baseada na disponibilidade

O conceito de Available to Promise (ATP) ou Disponível para Promessa, refere-se à quantidade de produto disponível que uma empresa pode comprometer com os clientes em futuros pedidos, sem comprometer os pedidos existentes. O ATP é crucial para empresas que precisam gerenciar suas promessas de entrega baseando-se no estoque existente ou na produção prevista. Essencialmente, o ATP ajuda a responder à pergunta: “Quantos itens posso prometer aos meus clientes baseando-me no que tenho ou no que terei disponível?”

Como funciona o ATP

O cálculo do ATP considera o estoque atual, adicionando qualquer quantidade de produto que será produzida (ou recebida, no caso de mercadorias compradas), e subtraindo as quantidades já prometidas em pedidos confirmados.  Assim, o ATP é dinâmico, mudando constantemente à medida que novos pedidos são recebidos e cumpridos, e à medida que novos estoques são produzidos e adicionados ao inventário.

A fórmula básica para calcular o ATP pode ser representada da seguinte maneira:

ATP = Estoque Atual + Recebimentos Planejados – Pedidos Comprometidos

Onde:

  • “Estoque Atual” refere-se ao inventário disponível imediatamente para atendimento de pedidos.
  • “Recebimentos Planejados” incluem os itens que estão em produção ou que serão recebidos de fornecedores em um futuro próximo, dentro do horizonte de planejamento.
  • “Pedidos Comprometidos” são aqueles pedidos para os quais o inventário já foi alocado, mesmo que o produto ainda não tenha sido fisicamente entregue ao cliente.

Uma das grandes vantagens do ATP é fornecer às empresas uma visão clara e atualizada da disponibilidade dos produtos, o que permite um planejamento mais eficaz. Com o ATP, as equipes de vendas e atendimento ao cliente podem informar aos clientes datas de entrega realistas, com base em dados concretos, aumentando assim a confiança e a fidelidade do cliente.

Capable To Promise (CTP): A promessa baseada na capacidade

Diferentemente do ATP, o Capable To Promise (CTP), ou Capaz de Prometer, leva em consideração a capacidade de produção da empresa para atender a novos pedidos. O CTP avalia não apenas os estoques disponíveis, mas também a capacidade da linha de produção de adicionar novos pedidos à programação. Este conceito é vital para empresas que operam em ambientes de produção complexos, onde a disponibilidade de recursos de produção (como máquinas, mão de obra e materiais) precisa ser considerada antes de fazer uma promessa de entrega.

Como funciona o CTP

No processo de determinação do CTP, várias etapas devem ser seguidas para assegurar que a empresa possa cumprir efetivamente com o que prometeu. Primeiro, avalia-se a demanda do cliente, que inclui não apenas a quantidade desejada, mas também a data específica de entrega. A seguir, realiza-se uma análise detalhada da capacidade produtiva, considerando fatores como a disponibilidade de matéria-prima, o status das máquinas e equipamentos (incluindo manutenções programadas ou não planejadas), e a capacidade de mão de obra.

Além disso, deve-se levar em conta o planejamento e sequenciamento da produção atual. Isso envolve a verificação de ordens de produção já em andamento, ordens planejadas e a capacidade de inserir novos pedidos no sequenciamento de produção sem causar atrasos nas entregas já prometidas. Este aspecto é onde sistemas avançados de planejamento e programação (Advanced Planning and Scheduling – APS) entram em jogo, permitindo simular diferentes cenários e tomar decisões baseadas em dados.

LEIA TAMBÉM:   100 soluções PLM: para todos os tamanhos e perfis

Os sistemas APS, como o Opcenter APS da Siemens, são ferramentas computadorizadas que integram diversas áreas da empresa, desde o chão de fábrica até a gestão estratégica. Eles permitem que as empresas façam uma programação da produção mais realista e eficiente. Dessa forma, o CTP, apoiado por um sistema APS, é capaz de fornecer datas de entrega que consideram a capacidade real de produção e outros recursos, em vez de apenas depender da disponibilidade de estoque.

A implementação de um sistema CTP é fundamental para as empresas de manufatura, proporcionando um maior compromisso com os clientes. Essa precisão nas datas de entrega pode aumentar significativamente a satisfação do cliente, ao mesmo tempo que a empresa beneficia-se de uma gestão de recursos mais eficiente. Isso resulta na minimização de desperdícios e atrasos, contribuindo para a redução dos custos operacionais e otimizando o fluxo de produção.

Diferenças entre ATP e CTP

Tendo compreendido o conceito de Capable to Promise (CTP) e sua relação com o processo de fabricação, é essencial distinguir esse modelo do Available to Promise (ATP), que é frequentemente utilizado no contexto de gestão do inventário e serviço ao cliente. As diferenças entre ATP e CTP destacam a evolução das estratégias de compromisso com o cliente dentro da cadeia de suprimentos.

O ATP concentra-se na definição da quantidade de um produto disponível para ser prometida aos clientes, levando em conta tanto o estoque existente quanto o planejado para produção. Simplificando, ele oferece uma análise que determina quantos itens podem ser comprometidos para entrega imediata ou em um prazo próximo, com base na situação atual do inventário e na produção planejada. Dessa forma, o ATP realiza uma projeção futura com base no estado atual dos estoques, avaliando a capacidade de atender a demandas futuras.

Por exemplo, se uma empresa tem em estoque 100 unidades de um produto e já possui pedidos confirmados que somam 80 unidades, o ATP dessa empresa para esse produto seria de 20 unidades. Se um novo pedido chegasse solicitando 15 unidades, o ATP permitiria confirmar imediatamente o pedido.

Entretanto, se um pedido solicitasse 25 unidades, a empresa teria que verificar sua capacidade de produzir as unidades adicionais antes de confirmar o pedido, ou poderia aceitar o pedido com uma data de entrega que contemple o tempo necessário para produzir as unidades excedentes.

O CTP, por outro lado, é um processo mais abrangente e integrativo. Ele não apenas considera o inventário disponível ou programado, mas também a capacidade total de produção da empresa. O CTP responde a uma pergunta mais complexa: “Podemos fabricar e entregar esses produtos no tempo solicitado pelo cliente, levando em consideração todas as nossas limitações operacionais atuais, como disponibilidade de matéria-prima, capacidade de mão de obra e equipamentos, e outros pedidos já programados?”. O CTP permite que uma empresa faça promessas de entrega baseadas em uma visão realista de suas capacidades operacionais.

Para ilustrar o CTP em ação, considere uma empresa de fabricação de eletrônicos que receba um pedido de 200 smartphones com um prazo de entrega de duas semanas. Se o ATP determinar que apenas 150 unidades estão disponíveis em estoque ou programadas para produção nesse período, o CTP interviria para avaliar se é possível ajustar o planejamento de produção, acelerar a aquisição de componentes ou alocar mais mão de obra para atender ao pedido completo. Se a capacidade de produção permitir, a empresa poderá comprometer-se com a entrega total dos 200 smartphones dentro do prazo.

LEIA TAMBÉM:   MTO, MTS, ATO, ETO: principais diferenças e quando utilizar

As implicações dessas diferenças são significativas para a gestão da cadeia de suprimentos. Enquanto o ATP é adequado para empresas com ciclos de produção mais curtos ou com grande quantidade de produtos padronizados em estoque, o CTP é vital para empresas que enfrentam alta variabilidade na demanda, produzem bens personalizados ou possuem processos de fabricação complexos.

No contexto atual, onde os clientes demandam respostas mais rápidas e precisas, a capacidade de prometer com base em informações detalhadas sobre a capacidade de produção (CTP) oferece uma vantagem competitiva significativa em relação ao comprometimento baseado apenas na disponibilidade de estoque (ATP).

Avançando com a APS3 e o Opcenter APS

Empresas prontas para aprimorar seu planejamento de produção e capacidade de entrega encontrarão na APS3 o parceiro ideal. Através da implementação do Opcenter APS da Siemens, é possível alcançar uma nova dimensão de eficiência, agilidade e confiança na promessa ao cliente.

Para aqueles que estão ansiosos por explorar as potencialidades do Opcenter APS e entender como ele pode ser integrado em seus próprios ambientes de produção, clique aqui e acesse o site da APS3. Lá, uma gama de recursos e informações está disponível para auxiliar as empresas a identificar soluções de planejamento e programação que se alinhem com suas estratégias operacionais e objetivos de negócios.

A capacidade de entregar o que é prometido, no prazo prometido, é mais do que um diferencial competitivo; é uma necessidade empresarial crítica. A implementação do Opcenter APS, com a parceria estratégica da APS3, capacita as empresas a atender a essa necessidade com confiança e precisão, posicionando-as para o sucesso em um mercado cada vez mais exigente e dinâmico.

É importante reconhecer que cada empresa possui desafios únicos de planejamento e programação. A personalização e a adaptação do Opcenter APS para atender a essas necessidades específicas são onde a expertise da APS3 realmente brilha.

Gostou do nosso post? Compartilhe em suas redes sociais!

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp
Telegram
Email
Print