OEE: Indicador de Eficiência na Indústria

Na busca incessante pela excelência operacional, as indústrias estão sempre à procura de ferramentas e métricas que possam refinar seus processos de produção, aumentando a eficiência e reduzindo custos.

Uma dessas ferramentas poderosas é o OEE (Eficiência Global dos Equipamentos), um indicador de desempenho que oferece insights valiosos sobre a eficácia da manufatura. Mas, o que exatamente é o OEE, e por que ele se tornou um indicador essencial na produção industrial? Vamos mergulhar nas profundezas do OEE e descobrir como a otimização de suas componentes principais — disponibilidade, performance e qualidade — pode transformar a produção industrial.

Entendendo o OEE

O OEE é uma métrica composta que reflete a eficiência e eficácia dos processos de produção, medindo a porcentagem de tempo de fabricação que é verdadeiramente produtivo. Um OEE de 100% indica uma produção perfeita: fabricando apenas produtos bons, tão rápido quanto possível, sem paradas. Embora um OEE de 100% represente o objetivo máximo, indicando uma produção sem falhas, na prática, focar em aprimorar essa métrica pode resultar em benefícios tangíveis, como a redução de custos e o aperfeiçoamento da eficiência produtiva.

OEE Benchmarks

Então, como referência, o que é considerado um bom indicador de OEE? E qual seria um indicador de classe mundial?

  • 100% de OEE indica uma produção perfeita: fabricação apenas de peças boas, o mais rápido possível, sem tempo de parada.
  • 85% de OEE é considerado de classe mundial para fabricantes discretos. Para muitas empresas, é um objetivo de longo prazo adequado.
  • 60% de OEE é bastante típico para fabricantes discretos, mas indica que há um espaço substancial para melhoria.
  • 40% de OEE não é nada incomum para empresas de manufatura que estão apenas começando a rastrear e melhorar seu desempenho na fabricação. É uma pontuação baixa e, na maioria dos casos, pode ser facilmente melhorada por meio de medidas diretas (por exemplo, rastreando as razões para o tempo de parada e abordando as maiores fontes de inatividade – uma de cada vez).
LEIA TAMBÉM:   A evolução do planejamento industrial com Opcenter APS: Antes e Depois

Os Três Pilares do OEE

  1. Disponibilidade: Refere-se à proporção do tempo planejado para produção que é realmente utilizado para a fabricação. A disponibilidade é impactada por paradas não planejadas, como falhas de equipamentos e ajustes necessários.
  2. Performance: Mede se a produção está operando na velocidade máxima durante o tempo disponível. A performance pode ser afetada por pequenas paradas e pela operação lenta das máquinas.
  3. Qualidade: Avalia a proporção de produtos fabricados que atendem aos padrões de qualidade, sem a necessidade de retrabalho. A qualidade é impactada pela produção de itens defeituosos e processos de setup que afetam negativamente o produto final.

Elevando o OEE: O Papel do APS e do MES

O aprimoramento do OEE não é uma tarefa para os fracos de coração; requer uma combinação estratégica de conhecimento, ferramentas e tecnologia. É aqui que entram o APS e o MES, dois componentes tecnológicos que, quando harmonizados, podem elevar o OEE a novos patamares.

O APS, considerado nosso “farol alto”, ilumina o futuro da produção, fornecendo uma visão detalhada e antecipada. Este sistema capacita as empresas a planejar e organizar suas operações com uma precisão sem precedentes, não apenas antecipando possíveis desafios, mas também alinhando os recursos disponíveis às demandas produtivas. Além disso, o APS é instrumental para otimizar a programação da produção, minimizando tempos de inatividade e maximizando a saída, garantindo assim uma execução eficiente e ágil dos processos produtivos.

Por outro lado, o MES atua como um “retrovisor”, oferecendo uma visão retrospectiva do desempenho de produção. Ele verifica se o realizado está em consonância com o planejado, permitindo ajustes em tempo real para manter o curso correto.

Melhorando o OEE com APS e MES

A integração do APS com o MES é fundamental para elevar o OEE a novos patamares de eficiência. Esta combinação permite uma harmonia entre o planejamento da produção e sua execução, possibilitando:

  • A identificação e minimização de paradas não planejadas, melhorando a disponibilidade.
  • A otimização da velocidade de produção, maximizando a performance.
  • A garantia de que apenas produtos de alta qualidade sejam produzidos, elevando a qualidade.
LEIA TAMBÉM:   Cobertura de Estoque: Estratégias para Otimização e Eficiência Máxima

APS3 e Siemens: Parceiros na Otimização do OEE

Na jornada para melhorar o OEE e alcançar a excelência na produção, a APS3 se posiciona como um parceiro estratégico da Siemens, um líder mundial em soluções de digitalização industrial. Juntos, proporcionamos às indústrias as ferramentas e o conhecimento necessários para diagnosticar, implementar e otimizar soluções que impulsionam a eficiência da produção a novos patamares.

O OEE é mais do que uma métrica; é uma bússola que guia as indústrias em sua busca contínua por melhorias e eficiência. Ao focar na otimização de suas componentes — disponibilidade, performance e qualidade — e integrar soluções avançadas como APS e MES, as empresas podem alcançar uma produção mais eficiente e menos custosa.

Com o apoio da APS3 e da Siemens, sua jornada para aprimorar o OEE e transformar sua produção começa com confiança e clareza. Convidamos você a explorar como podemos ajudá-lo, visitando nosso site APS3 e descobrindo o caminho para a excelência operacional.

Gostou do nosso post? Compartilhe em suas redes sociais!

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp
Telegram
Email
Print